quarta-feira, 7 de novembro de 2012


Acredite e Aja.

E quando Herodes estava para o fazer comparecer, nessa mesma noite estava Pedro dormindo entre dois soldados, ligado com duas cadeias, e os guardas diante da porta guardavam a prisão.
E eis que sobreveio o anjo do Senhor, e resplandeceu uma luz na prisão; e, tocando a Pedro na ilharga, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa. E caíram-lhe das mãos as cadeias.
E disse-lhe o anjo: Cinge-te, e ata as tuas alparcas. E ele assim o fez. Disse-lhe mais: Lança às costas a tua capa, e segue-me.
E, saindo, o seguia
. E não sabia que era real o que estava sendo feito pelo anjo, mas cuidava que via alguma visão.
E, quando passaram a primeira e segunda guarda, chegaram à porta de ferro, que dá para a cidade, a qual se lhes abriu por si mesma; e, tendo saído, percorreram uma rua, e logo o anjo se apartou dele.  Atos 12:6-10

O texto nos trás um cenário extremamente tenso, não só para a Igreja de Cristo, mas principalmente para Pedro que estava a um passo da morte.

O que me chama a atenção é a forma como Pedro, acreditando, mesmo sem ter noção concreta do que estava acontecendo era realidade ou não, levante-se e, passando por toda guarda, é conduzido para a liberdade.

Faz algum sentido para você que é preciso acreditar e, acreditando, agir sem olhar para os lados onde se enfileiram todos os nossos sentimentos limitantes?

Por mais fortes e bem armados esses fatores se mostrem, se tivermos foco no objetivo e dermos ouvidos ao Deus que nos chama para a liberdade e o cumprimento da sua vontade em nossa vida, a vitória virá.

Paulo Carlos
Analista Comportamental; Palestrante Motivacional; Professional & Self Coach; 
Professor de Ética e Filosofia; Pastor da IB da Redenção - Olinda.
Contato: (81) 8775-0118
Por que temos medo das mudanças?


Variados são os motivos. 


Talvez a insegurança encabece a lista de algumas pessoas. Acreditando que o novo poderá torná-lo dispensável por não ter espaço para antigas atitudes, alguns preferem preservar o que lhe parece a continuidade de algo que, talvez, já não comunique nada para ninguém, mas, pelo menos, preservará o status quo de uns poucos. 


Faz sentindo para você que as mudanças, desejando-as ou não, acontecerão por inúmeros motivos e muitos deles alheios a nossa vontade?


O que fazer então? Estar atento aos apelos do nosso entorno e manter viva a chama da curiosidade infantil, tão necessária para novos aprendizados.
Aqueles que estão dispostos a aprender, sempre terão espaço num mundo em contínua evolução. 


Paulo Carlos

sexta-feira, 2 de novembro de 2012


Celebrando a vida através da morte

Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque naquela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração. Eclesiastes 7:2

Celebrar momentos marcantes na existência é uma atitude exclusiva do ser humano. Não encontramos essa atitude no reino mineral, vegetal e nem animal, com exceção da encontrada entre os seres racionais. Celebramos a vida e suas fases, bem como as conquistas alcançadas em cada período da existência. Por fim, celebramos a morte. Sim, celebramos a morte!
Partes dos orientais celebram a morte como um momento de promoção da alma por entenderem que o corpo, como elemento limitante, já não atrapalhará sua evolução. Os ocidentais não encaram a morte como um acontecimento festivo, antes a veem como um acontecimento ligado a perdas. Perde quem vai, por cessar todas as possibilidades de realização nessa dimensão da vida. Perde quem fica, por ser privado da presença do ente querido, entre outras coisas ligadas a perda dessa presença. Por isso, essa celebração fúnebre entre os ocidentais é marcada por choro e tristeza, mesmo entre aqueles que acreditam na continuidade da vida após a morte na companhia de um bondoso Deus que espera todos aqueles que, em vida, optaram por serem seus seguidores.
Por ser tão importante quanto o aniversário ou a formatura de alguém, esse momento de despedida ganhou um dia especial no calendário cristão: O dia de finados. Nesse dia celebramos a saudade de alguém que se foi. Aparentemente celebramos a morte.
Contudo, sendo um momento reservado para resgatar a memória dos que já se foram, ouso afirmar que esse dia, assim como no aniversário, é um momento de celebrar a vida. Celebrar a lembrança daqueles que nos deixou como legado o desafio de continuar a preserva a vida. Recebemos das mãos dos que se foram um mundo em construção. É da nossa responsabilidade a continuidade do projeto de melhoria do mesmo. Agindo assim, honraremos as histórias e memórias daqueles que homenageamos nesse dia.
Agradecido aos que me antecederam, suplico a Deus que conceda sabedoria para tornar a minha vida uma trajetória digna de ser lembrada e uma inspiração aos que, depois de mim, terão a responsabilidade de cumprir a missão dada por Deus de preservar a vida humana. Vida essa que, como aprendemos com nossos pais, mestres e nosso mestre maior, Jesus, deve ser vivida na base do amor a Deus e do serviço ao próximo.
Paulo Carlos
Coach, Professor de Filosofia/Ética e Pastor Batista.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Sobre árvores, tesouros, frutos, sonhos e amor.
“... ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem rouba”m. Mt 6:20

“Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. Marcos 12:30-31

“Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”. Jo 15:5

Amar é uma decisão racional que produz um campo de força emocional tão intenso que nos protege de uma vida infrutífera.

Pelo fato do amor, apesar de ter origem divina, ser nosso, é da nossa inteira responsabilidade o ato de escolher onde depositá-lo. Às vezes, quando o deixamos tornar-se refém de alguém, é necessário que a razão seja acionada para que, tomando conta da situação, nos livremos da paralisia que uma emoção exacerbada pode causar; de outro modo poderemos ser alvos de uma infertilidade existencial. Infertilidade que a razão pura, nesse campo, também pode produzir. Equilíbrio no uso da razão e da emoção é o melhor dos mundos. O equilíbrio potencializa ao máximo essas duas forças vitais elevando-nos ao patamar da excelência em nossas relações, sejam elas pessoais, profissionais ou ministeriais.

Escolher onde depositar nosso tesouro, nosso coração, nossa motivação, é escolher com o quê ou com quem estaremos envolvidos na busca da conquista dos sonhos, na corrida pela realização pessoal e/ou comunitária.

Cristo nos convida a amar a Deus sobre todas as coisas, pois assim nosso amor tem garantia de reciprocidade eterna. Também somos convidados a amar o outro como a nós mesmos, porque isso garante paz e harmonia, afinal, ninguém, em sã consciência, deseja o mal para si mesmo.

Se seremos conhecidos pelos frutos, e se esses são produzidos segundo a espécie da árvore que o produz, que a nossa conectividade seja com Cristo, pois Ele mesmo afirmou que fora dEle nada poderíamos fazer, DE BOM. (grifo meu).

Que essa conectividade nos faça acumular a verdadeira riqueza que é a comunhão com Deus, e que essa comunhão nos faça canais da graça de Cristo ao mundo, tornando-nos, assim, agentes das mudanças que tanto queremos ver.

No amor do Cristo com quem desejo estar conectado sempre,
Paulo Carlos
Pastor, Professor, Coach e Analista Comportamental.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012


SÓ HÁ UM CAMINHO QUE VALE APENA SEGUIR: PARA FRENTE.

Narra a história que durante a conquista do México, o comandante Hernán de Cortez mandou queimar as caravelas nas quais o exército espanhol havia chegado ao novo mundo. Seu objetivo foi deixar claro para os seus soldados que não havia caminho de retorno ou fuga. A única chance de sobrevivência que restava para eles era a vitória sobre os Astecas.
Às vezes precisamos tomar atitudes dramáticas assim, para poder conquistar novos horizontes. Pseudas ilhas de segurança, às vezes, impedem a conquista dos continentes que temos pela frente. 
O fogo traz não só o símbolo da destruição, mas também a figura da purificação, sem a qual não é possível diferenciar, com clareza, o que é novo daquilo que trouxemos do passado. O fogo não só apaga as marcas do passado como deixa o terreno pronto para toda novidade que virá. 
Abandonando por completo todas as possibilidades de retorno, só nos resta um caminho a seguir: Em frente. Rumo à vitória. 
As caravelas foram importantes até agora, mas é hora de queimá-las afim de conquistar novas fronteiras e viver um novo tempo. 
Os convido a construir essa grande fogueira de purificação e renovação. Há muito mais no continente do que no parco espaço das caravelas.  
Deste modo uno-me e o convido a unir-se ao apóstolo Paulo em sua afirmação escrevendo aos Filipenses no capítulo 3: 13 e 14
"Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus."
Paulo Carlos.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Deus honra quem Ele quer.

"Porém Jefté disse aos anciãos de Gileade: Porventura não me odiastes a mim, e não me expulsastes da casa de meu pai? Por que, pois, agora viestes a mim, quando estais em aperto?" Juízes 11:7

Os dez primeiros versículos do capítulo 11 de Juízes, nos traz uma história muito interessante. Jefté, perseguido e expulso por ser filho "ilegitimo" de Gileade, foge junto com um grupo rotulados de levianos. Essa história faz lembrar Davi que teve um grupo de marginalizados que se juntaram a ele quando fugia de Saul. 
Algum tempo depois, quando Israel envolvido em guerra senti o poder dos inimigos, Jefté é buscado pela liderança que o julgara impuro para participar da comunidade, e com ele faz uma aliança para que Jefté seja seu líder. 
Tanto nessa história, quando na de Davi que tinha como avó uma Moabita, percebemos a mão graciosa de Deus incluindo aqueles que os "santos de plantão" consideram impuros e dispensáveis.
Deus muda histórias e honra aqueles
 quem Ele quer honrar, independente do seu passado ou da opinião daqueles que julgam pelo limitado olhar humano.
Caro irmão, continue sua vida e seja integro diante de Deus, independente da fala dos outros. Não se impressione que a aparente vitória dos maus, pois em algum momento todos nós estaremos frente a frente com o resultado das nossas próprias ações. 
Quando for procurado por aqueles que o julgaram mau, lembre que só isso já é uma ação de Deus colocando você onde Ele quer colocá-lo. 
Não desanime! Deus ama e honra os sinceros de coração, aos honestos em suas atitudes, àqueles que vivem na verdade.
Preparasse para um EXTRAORDINÁRIO fim de semana.
Paulo Carlos.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Feliz Dia do Amigo

"O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio." Provérbios 18:19

Tenho aprendido que amizade verdadeira desconhece distância, tempo ou situações. Amizade verdadeira se revela na contradição do pensar diferente e ainda assim adotar uma postura de irmão. Não sendo a simples presença corporal a certeza de uma amizade nesse nível, já que maior que a distância física é a distância de propósitos e intenções. 


Tenho aprendido que amigos verdadeiros nascem a todo momento, desde que haja uma abertura sincera de corações. Amizades duradouras são firmadas no caráter e não no fato do cara ter.

Amizade sincera não tem outra razão de ser que o simples desejo de ver o outro bem, sendo assim, amigos não são, apenas, aqueles que vivem abraçados, sorridentes, destilando palavras infindáveis de elogios. Os verdadeiros amigos são aqueles que, puxando a gente no canto sem que ninguém saiba, falam duramente sobre suas impressões acerca das nossas atitudes inadequadas, mas que também sabem ouvir humildemente, quando somos nós o autor da crítica severa. 


Amigo verdadeiro é um tesouro que quando encontrado dificilmente alguém quer perdê-lo, mas quando perdido dificilmente é reencontrado.


Por isso, os convido a cuidar com zelo, não do seu amigo, mas do seu jeito de ser amigo de alguém. Pois como uma pedra preciosa é desejada e por isso buscada, assim o é uma amizade sincera e fiel. 


Seja essa pedra preciosa e nunca lhe faltará bons amigos ao seu redor, e os que assim não forem a vida se encarregará de mantê-los distantes.


Um feliz fim de semana para todos os que estão perto, seja em corpo, mente ou coração. 



Paulo Carlos, alguém ainda em processo de lapidação.


quarta-feira, 20 de junho de 2012


O Eterno Retorno
“O senhor disse que ...”
As palavras pronunciadas por nós sempre nos alcançarão. Aprendi isso muito cedo, quando os meus filhos ainda eram pequenos. Às vezes prometia alguma coisa, ou compartilhava certo conceito que em seguida era cobrado pelos meus pequenos, mas atentos ouvintes, com a seguinte expressão: “Mas o senhor disse que...”
Imagine as ondas que se formam em um lago tranquilo ao se jogar uma pedra no centro... Assim o som é propagado pelo universo, em ondas.  Ao se deparar com um obstáculo o som retorna; esse movimento chama-se: Reverberação; Eis a volta do som em direção à sua fonte original!
Outro conceito dessa reverberação chama-se: ECO. Dizendo de modo simplificado, é o encontro do som pronunciado com sua fonte original de modo rápido e constante
Contudo, sendo o mundo redondo, é de se imaginar que, se esta “onda” sonora não encontrar qualquer obstáculo em seu caminho, ela dará uma volta em torno do globo encontrando assim sua fonte originária. É lógico que a pressão sonora chegaria enfraquecida, precisando de uma amplificação para ajudar nossa limitada percepção.
Essa reverberação, seja forte a ponto de tornar-se eco, ou seja enfraquecida, diminuída, de modo que se torne quase imperceptível, sempre nos alcançará. A Bíblia diz isso em relação à fala de Deus também, conforme encontramos em Isaías 55:11 “Assim será a minha palavra, que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia, antes fará o que me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei.
Esse retorno trará consigo os frutos da espécie plantada, segundo nos alerta Tiago quando lembra que o uso da língua deve seguir um rumo de coerência: “De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim. Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas, ou a videira figos? Assim tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce.” Tiago 3:10 e 12
Por certo que a Lei do Eterno Retorno, desenvolvida pela Filosofia Grega, se não serve de fundamento teológico cristão para questões da alma, estou convencido que serve para o uso das palavras.
Se fizer sentido para você, o convido a plantar sementes de palavras abençoadoras, palavras verdadeiras que possam ser repetidas na presença ou ausência de qualquer pessoa, para a formação de um jardim onde as borboletas da alegria, da confiança e do amor encontrem seu lar.
O convido a plantar um pomar com tais palavras de modo que se possa colher frutos de sinceridade em uma amizade solidificada no caráter e não na conveniência.
O convido a fazer ecoar palavras cuja reverberação será bem vinda em qualquer tempo, lugar ou situação, de modo que sua vida destile arte; lembrando que no palco da existência você é coautor e plateia. Que suas palavras possam ser usadas em poesias e canções, tornando sua vida uma bela sinfonia tocada pela orquestra do universo, na qual o regente é Deus.  
Paulo Carlos
Coach, Professor e Pastor.
prpaulocarlos@hotmail.com / www.prpaulocarlos.blogspot.com

quarta-feira, 13 de junho de 2012




Sobre Pérolas, Diamantes e Pessoas.
Diamantes são pedras preciosas e extremamente resistentes a todo tipo de fatores externos, de modo que nada pode riscá-los a não ser outro diamante. No entanto, em paralelo, são frágeis por conta da sua composição em camadas octaédrica (8 faces) e às vezes  hexaquisoctaédrica (48 faces). São produzidos ao longo dos anos sob uma tremenda carga de temperatura e pressão. 
As Pérolas, de igual modo preciosas, são formadas a partir de uma ação natural pela sobrevivência da ostra que se sentindo agredida por um grão de areia, por exemplo, envolve o agressor com uma substância chamada de madrepérola. Assim, ela isola seu suposto agressor evitando que ele tenha contato com o resto do seu organismo. 
Diamantes e Pérolas são forjados na pressão. Seu momentâneo "sofrimento" traz como consequência seu inestimável valor. Sem pressão, sem calor, sem isolamento, eles não seriam o que são.
Há pessoas que são excepcionais; são pessoas do tipo Pérolas/Diamantes. Indivíduos forjados sob a pressão da condição humana, mas que não submergiram ante os desafios. Pelo contrário, foram perseverantes, nadaram contra a maré, ousaram pensar diferente e pagar o preço de não deixar-se massificar para viver a comodidade do não isolamento; decidiram viver autenticamente mesmo correndo o risco de sofrer pelo fato oferecer sinais de ameaça para a ostra chamada sistema.  
Pessoas assim não fogem com facilidade dos confrontos quando buscam pela justiça.
Contudo, como o Diamante, o mais resistente material formado pela natureza, pessoas Pérola/Diamante são frágeis; choram; acreditam e por isso também se decepcionam; não são perfeitas, por isso elas também decepcionam os outros; ainda por não serem perfeitas, elas precisam ser lapidadas.
Em relação às Pérolas, apenas 2% de todas as formadas naturalmente em todo mundo são possíveis de comercialização, pois só as perfeitas são comercializadas, e para serem consideradas perfeitas elas precisam ser totalmente redondas.
Pessoas Pérolas/Diamantes ainda que raras e excepcionais, forjadas na pressão e treinadas para as mais duras batalhas, são carentes de amigos verdadeiros, de parceiros fieis na caminhada e, sobretudo, precisam das mãos sublimes e perfeitas de um bom lapidador para que delas extraia o melhor e as tornem úteis para todos.
Esse lapidador é Jesus de Nazaré o qual entregou sua vida, como exemplo maior e perfeito de um homem do tipo Pérola/Diamante, nas mãos de Deus Pai, Criador de todas as coisas.
Paulo Carlos
Coach, Pastor, Professor.

terça-feira, 12 de junho de 2012


Crianças e Poetas
Amarelinha, bola de gude, esconde-esconde...
Faz de conta de ser médico, motorista, policial...
Brincadeiras infantis que ora imitam, ora criam a realidade.
Brincadeiras que utilizam o real para fantasiar;
Fantasia que cria uma realidade para com ela sorrir, divertir-se e, quem sabe, viver nela e por ela.
Fantasiando com o real e vivendo a realidade criada pela fantasia, a criança modela o seu mundo; constrói e destrói, em questão de segundos, castelos, cidades e mundos.
Latas tornam-se aviões, carros e motos; cabos de vassoura assumem o lugar das espadas e lanças; panos de chão e tolhas velhas são amarradas ao pescoço concedendo ao seu usuário o poder de voar; cacarecos que alguém poderia chamar de lixo, nas mãos de uma criança criativa são os instrumentos necessários e indispensáveis para compor seu mundo realisticamente fantasioso e fantasticamente real.
Assim faz o poeta. Utilizando as palavras como instrumento, produz uma realidade nunca antes imaginada, pelo menos não com aquele colorido.
Palavras comuns, até aquelas jogadas fora durante uma conversa casual na mesa de um boteco, ele as recolhe, acolhe, modela, reorganiza, contextualiza em outros cenários, brinca com elas fazendo-as dizer outras coisas que ultrapassa sua significação denotativa.
Ah... O Poeta!
O Poeta é um brincalhão; um inventor; um menino criativo que, usando as palavras de modo real, cria mundos paradisíacos, inimagináveis, quase intocáveis até mesmo pela imaginação do leitor; cria cenários deslumbrantes onde os amantes se encontram para desfrutar de paixões avassaladoras; inspira outras fantasias; produz um turbilhão de sentimentos de toda ordem e, com as mesmas palavras ditas de outro jeito, conduz seus leitores por campinas tranquilas e vales verdejantes até que encontrem repouso e um sono restaurador.  
Talvez Criança e Poeta sejam palavras sinônimas.
Engenheiro de sonhos. Talvez esse termo possa definir a função do poeta e o existir da criança.
Sozinho, esse engenheiro produz muito com tudo o que lhe vem às mãos, mas sempre com a esperança de ter alguém com quem possa compartilhar suas últimas ideias. Alguém capaz de perceber o quanto é real seu mundo de fantasia, e por isso a ele se une para continuar essa modelagem criativa enquanto precisam viver a realidade do existir.
Paulo Carlos.

sábado, 9 de junho de 2012


Sobre o Pensar.

Quando estou pensando, eu penso que penso de modo consciente. 
Contudo, conscientemente, eu penso sabendo que tudo o que penso não é consciente, pois sei que o inconsciente participa do pensar, sugerindo coisas que eu penso serem do consciente, mas quando penso direitinho percebo que não são. Logo, torno consciente um pensar inconsciente que me faz continuar pensando até chegar o momento tão esperado: A Decisão. 
Tomada a decisão, conscientemente sei que muito do inconsciente ali está, só me resta agora desfrutar das consequências que, advindas de uma decisão baseada em outras influências, virão de modo real. 
Mas o Real e o Irreal é outra discussão, outro pensar...

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Em busca de uma comunidade.

Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia.
(Hebreus 10:25)

Semana passada, ao voltar da Igreja, resolvi fazer um lanche. Passei em frente de uma McDonald's, de uma Subway e de uma Bob´s, até chegar no Laça Burguer, onde eu queria lanchar. Já lanchei e, às vezes, volto a lanchar nesses outros lugares, mas naquele dia eu tinha um desejo específico. 

Pensando sobre esse acontecimento cheguei a conclusão de que: Independente daquilo que é oferecido, o sucesso está mais ligado ao atendimento das expectativas daquele que procura um objeto ou serviço. É certo que a excelência do que é oferecido contribui para a fidelização do cliente, contudo ainda está na posse do cliente a última palavra na escolha.  

Salvaguardando as devidas e imensas diferenças, a participação e integração de uma pessoa em uma comunidade de fé, de algum modo, passa por esse elemento de busca, de procura e encontro de um ambiente que favoreça aquilo que deve ser nossa intensão primeira, a adoração e serviço a Deus. 

Há muitas comunidades que oferecem um bom ambiente e todas as comodidades possíveis para que alguém a frequente assiduamente. Da proximidade da sua casa, até um ambiente climatizado, passando por atendimentos diversos, muitos são os atrativos que fazem tais congregações receberem constantemente novos membros. 

No entanto, alguns abrem mão dessas comodidades e partem na busca de algo que está para além do que uma comunidade pode oferecer. Tais pessoas entendem que o Reino de Deus é uma oportunidade de serviço, ao invés de um shopping de bençãos. O Reino é o lugar onde sou abençoado para abençoar, e não um Banco gospel de onde saco todas as bençãos que preciso para o meu próprio prazer. 

Ás vezes, precisamos passar um tempo revigorando as forças, curando as feridas que a batalha causa e nos preparando para novos desafios. O perigo é passar muito tempo no banco de reservas, engordando nossa alma e, com isso, desenvolver uma "obesidade" espiritual que nos imobiliza. 

Como falei, há muitas e excelentes comunidades de fé onde podemos servir a Deus com alegria, excelência e compromisso. 

A questão está no motivo pelo qual escolhemos tais comunidades. Estamos lá porque estamos abençoando e contribuindo para que o Reino de Deus cresça? Estamos no processo de realimentação das bençãos, ou seja, Deus nos abençoa e por isso abençoo alguém e por isso sou abençoando? Ou tenho buscado fartar minha alma, sem compromisso com o projeto de Deus. Esta última atitude nos filia à comunidade apresentada pelo escritor de Provérbios no capítulo 30:15 "A sanguessuga tem duas filhas: Dá e Dá. Estas três coisas nunca se fartam; e com a quarta, nunca dizem: Basta!"

Os convido a procurar uma comunidade pelos motivos corretos. 

Tenho aprendido que a vida é uma troca, sendo assim, nada de errado que procure uma comunidade que possa oferecer algumas comodidades, mas procure nela um espaço para servir, pois, por maior que seja uma comunidade, sempre há um lugar para servir e carências a serem supridas. 

Que Deus te ilumine nessa busca e te abençoe na escolha.

Pr Paulo Carlos 


   

 

terça-feira, 29 de maio de 2012


Ser Família
“Porquanto, qualquer que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã, e minha mãe“. Marcos 3:35
O que é família?
Não sei se você já deu conta de que as perguntas mais simples são as mais complicadas para responder. Quem tem ou já teve filhos pequenos sabe bem do que estou falando. Para exemplificar isso, pergunto agora: Por que as zebras são listradas? Por que o nariz não tem apenas um orifício ao invés de dois? Por que os nossos dedos têm tamanhos diferentes? Que configuração tem uma família?
Ao longo da história, a humanidade tem se deparado com várias configurações do projeto Divino chamado de família. Uma coisa é fato: O laço sanguíneo não é o único determinante para um relacionamento familiar. A amizade de Davi e Jônatas é uma prova disso.
Séculos depois, Jesus expõe essa verdade de forma contundente. Como vimos no texto base, a vida familiar tem mais a ver com projeto partilhado do que com registro de nascimento. Por esse motivo é que vemos configurações de famílias, supostamente perfeitas pelo modelo Vitoriano, não lograrem sucesso na vida; enquanto outras composições, mesmo não tendo a presença de pai, mãe e filhos legítimos, conseguem uma vida familiar funcional. Não é meu intento fazer juízo de valor, mas apenas constatar o que a nossa geração tem vivido.
Sendo assim, acredito que a pergunta sobre o conceito de família é pertinente, pois a resposta resgatará o que é de essencial para se viver uma experiência familiar sadia, independente da configuração que a vida nos legou. Essa resposta não está pronta para ser comprada no mercado ou shopping center. A resposta virá durante a construção de uma relação que tenha Cristo como centro do projeto. Esse projeto tem ingredientes indispensáveis, dentre eles: O perdão, a compreensão mútua, o apoio mútuo, a fidelidade, a partilha e, sobretudo, a dependência de Deus na resolução dos conflitos.
O que é família? Cada um terá sua resposta, à medida que consiga dosar bem os ingredientes e puser sempre o Reino de Deus como prioridade.

No amor do Cristo que, por graça, me faz viver em família,
Pr Paulo Carlos

"Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. Sem discurso nem palavras, não se ouve a sua voz.
Mas a sua voz ressoa por toda a terra, e as suas palavras, até os confins do mundo" Salmos 19:1,3,4a.

A linguagem da pintura e do desenho, além de carregar a mensagem do artista, revela os segredos escondidos nos fatos que todos veem, mas não conseguem enxergar sem que sejam tocados pela transcendência.

quinta-feira, 24 de maio de 2012


‎"O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?" Jeremias 17:9


Palavras, em si, nem machucam, nem afagam.
O que potencializa a ação da palavra na alma de uma pessoa é a fonte de onde ela brota. Por isso, criar expectativas em relação aos outros é sempre um risco muito grande. Corremos o risco de ser extremamente elogiados ou duramente criticados. Não temos o controle sobre isso, porque, às vezes, essa atitude independe das nossas ações, uma vez que elas, por mais bem intencionadas que sejam, passaram pelo crivo da interpretação alheia, cujo coração não se pode sondar.
Sendo assim, continuemos a agir de modo ético e coerente, sem esperar por aprovação alheia. Blindando o nosso coração de palavras injustas, advinda de fontes que deveriam expressar outros conteúdos.
Em paralelo, permealizemos nossa alma para receber, acolher com alegria, toda palavra de reconhecimento, mesmo que advinda de onde menos esperávamos.

sábado, 19 de maio de 2012

‎"Nunca digas: Por que foram os dias passados melhores do que estes? Porque não provém da sabedoria esta pergunta". Eclesiastes 7:10


Desde que decidi ser feliz independente das circunstâncias, até aquelas que, aparentemente, são totalmente desfavoráveis, tem deixando alguma lição importante para que eu continue a viver sorrindo. 
Não que eu tenha adotado o estilo de vida Pollyanna, apenas não vejo necessidade de viver uma existência schopenhaueriana.
Em resumo: A vida não precisa ser vista de modo duramente dualista: Ou tá bom, ou tá ruim. A vida também não é uma massa amórfica. Vejo a vida como uma grande montanha russa, cheia de altos e baixos; subidas e descidas que garantem as mais fortes emoções. Ao final, a sensação que valeu a pena cada trecho do percurso e um desejo de quero mais.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Eu: Um ser atemporal inserido no tempo

O que fui, de alguma maneira, ainda permanece em mim, nem que seja na gaveta chamada de lembranças. Acredito que eu não seria o que sou sem essa base. O que sou não está solto no ar, sua base está no meu passado, que não pode ser negado, nem totalmente esquecido, sem que eu sofra a pena da perda dos referencias que me trouxeram até aqui. 
Definitivamente não creio que o que fui será determinante para o que serei, pois vivo a transição utilizando-me do poder de escolha. É certo que estas escolhas são auxiliadas por todas as experiências que já vivi, mas é justamente isso que pode garantir o novo, pois em busca de uma nova experiência tento não repetir o caminho passado. 
No entanto, há um elemento - chamado pela Psicanálise de Inconsciente - que pode atrapalhar esse processo. Esse "roteiro" mental cria certos disfarces que podem nos jogar de volta à "roda viva" das mesmas escolhas, sem que nos apercebamos de tais fatos. Vivendo novos "cenários", pensamos que estamos em um novo "roteiro"; e agindo do mesmo jeito vamos obtendo os mesmos resultados, acreditando que não há um outro modo de fazer as coisas. Assim, caímos nas garras de um pensamento determinista, esquecendo que não somos seres pré-programados, mas seres abertos, produtores de inúmeros futuros, e que todos eles estão em nossa mente. 
Sou um pouco do que fui e serei um pouco do sou hoje, e, por mais louco que pareça ser, sou um pouco, hoje, do que desejo ser amanhã, pois a mente tem esse poder de síntese do Ser, que nos remete de modo atemporal para todas as nossas possibilidades. Eu só não posso ser algo ou alguém fora das minhas possibilidades de Ser. Não posso ser no passado e nem no futuro aquilo que não me reconheço como possibilidade no presente. Mas, para que isso não cai nas malhas limitantes da minha própria mente, que é capaz de produzir a autossabotagem, eu preciso identificar claramente quem fui, quem sou e quais as possibilidades reais do que eu possa ser.

Se você gostou dessa "viagem" e sente que precisa trabalhar algumas dessas questões, talvez um processo de COACHING seja a tua praia onde você possa deixar surfar o teu EU. 
Primeira sessão gratuita. É só ligar e marcar uma hora. (81) 8775-0118. Para pessoas fora de Recife, também atendemos via Skype


Transforme sua cidade e sua família, a começar pela sua vida.


Escrevendo com tinta, e não com grafite, ao tentar apagar um erro borramos a folha ou rasgamos o papel. Talvez até consigamos deletar a informação usando algum produto corretivo, mas a marca de alguma coisa que não deveria estar ali, ficará.  
Assim é na vida, escrevemos nossa existência com tintas chamadas de atitudes e palavras, elas marcam a alma de todos aqueles com quem nos relacionamos. 
Por isso, todo cuidado no uso das palavras e nas atitudes deve ser tomado, principalmente quando tratamos com as crianças, sejam nossos filhos ou não, pois elas, mais do que qualquer um, registram com facilidade aquilo que as ensinamos, não só por palavras, mas muito mais pelas nossas atitudes. 
Corações marcados com palavras de elogio e afeto, naturalmente reproduzirão o que receberam. O inverso é verdadeiro.
Cuidemos para que as marcas que estamos produzindo, através das nossas palavras e atitudes, no coração e na alma daqueles nos rodeiam,  possam ser do tipo que formem reprodutores de afeto, e assim estaremos transformando nossa atual situação de violência em uma realidade de fraternidade sincera. 
"O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em seu coração, e o homem mau tira coisas más do mal que está em seu coração, porque a sua boca fala do que está cheio o coração". Lucas 6:45

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Se mudar, que seja para melhor!


No inicio da década de 70, os jovens enfrentavam a polícia que queria reprimir as manifestações contra a ditadura. Cantava-se frases metafóricas para fugir da censura como: "Cálice, pai afasta de mim esse, cálice!" "Apesar de você, amanhã há de ser outro dia", "Caminhando e cantando e seguindo a canção..." entre outras censuradas.
Toda essa história, movida por suor e sangue, tinha como objetivo contruir um País mais justo, um governo democrático e garantir o direito de livre expressão.
Conseguimos muita coisa. Mas o triste é perceber que temos usado nossa liberdade de expressão para cantar "Eu quero Tchu...,", "Vai lacraia..", "Ah! Se eu te pego...", entre outras "preciosidades" poéticas.
Se isso é cultura, quem nos apresentou essa forma de pensar? Afinal, cultura é um jeito de o povo ser. Esse jeito é forjado ao longo do tempo e tem um componente educativo entranhado nele. Sendo assim, volto a perguntar: Quem nos ensinou a ser assim?
Em meio a tantos desmandos, denúncias de corrupção, injustiças de toda ordem, nossa sociedade continua dando Ibope às novelas, aos reality shows, aos shows açucarados de artistas que só falam de amor mal resolvido ou pura insinuação à prática do sexo. A polícia só tem problemas com jovens por causa da bebida e das drogas.
O que aconteceu com aquela geração de mentes politizadas e conscientes? Onde estão os seus filhos que não deram continuidade ao sonho?
A Bíblia diz que devemos ensinar a criança no caminho que deve andar. Foi esse o caminho que a geração passada ensinou para essa geração?
O que estamos fazendo com a geração de hoje? Vamos deixar "rolar" solto? Vamos desistir deles e deixar que procurem o próprio caminho?
Talvez seja hora de dizer BASTA! Como aconteceu com a geração de 70, talvez tenha chegado a hora de começar a nadar contra a maré.
Se pareço retrogrado na minha fala, repressor ou qualquer um desses posicionamentos que hoje são considerandos politicamente incorretos, quero dizer que não tenho receio disso, afinal estou exercendo meu direito de expressão. Sendo assim, expresso minha indignação com o modelo de sociedade que forjamos nesses últimos 30 anos. Quero mais escolas e menos presídios; mais moradias dignas e menos favelas; mais lugares de convivência pacífica, ambientes acolhedores e que dê suporte e capacitação para convivência familiar e menos bares e botecos; mais parques de diversão e menos orfanatos; mais famílias estruturadas e menos asilos insalubres; mais amigos de verdade e menos pessoas que simplesmente add você numa rede social.
Se tivermos que mudar a cada geração, que seja para melhor.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Compositor da Vida

Não há melhor dia para se viver do que o dia de hoje.
O ontem tornou-se uma prisão que o tempo nos ajuda a fugir.
O amanhã ainda é uma incerteza que só acrescenta ansiedade ao medo do desconhecido.
O hoje é um palco iluminado sem bastidores. Nele a vida se desenrola e o espetáculo da existência vai se compondo sem ensaios, mas o script está em nossas mãos para escrevê-lo. Esta escrita é feita hoje, agora.
Te convido a compor esta peça cujo protagonista principal é você. 
E Deus? Ele, por certo, aplaudirá cada cena bem feita, dizendo:
"Foi para isso que te criei e dei o livre arbítrio."

sábado, 17 de março de 2012

Esperança não se explica

"E a paciência a experiência, e a experiência a esperança". Romanos 5:4
Quando vamos arrumar a casa precisamos deixá-la mais desarrumada do que antes para, só assim, começar a colocar as coisas no seu devido lugar. Quem chega no meio do processo pode até sentir "pena" de nós tamanha a bagunça que temos que enfrentar. No entanto, a imagem preconcebida do estágio final que carregamos no coração produz a coragem e a alegria que motiva cada ação em meio ao caos.
Portanto, não tente entender o sorriso de quem sofre se você não sabe o real sigifinicado da palavra ESPERANÇA.
Pr Paulo Carlos

terça-feira, 6 de março de 2012

Ser Feliz

Quando decidimos ser feliz, independente do que os outros façam ou digam de nós, criamos um campo de força, ou melhor, um filtro contra qualquer atitude ou palavra que não traga um bom alimento para nossa alma. Esse filtro só deixa passar aquilo que verdadeiramente vem de Deus, pois esse, sim, só fala para abençoar as nossas vidas, e o faz usando pessoas comuns e tão falhas quanto eu ou você. 
Portanto, se deseja adquirir o direito de ser ouvido, deixe-se usar como canal da graça de Cristo para os outros. Se deseja ser feliz, tome esta decisão agora.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

BOM DIA!

Mais uma vez Deus nos presentou com um nascer do sol.
Uma nova página em nossa vida é posta para nela escrevermos o dia de hoje. Não perca tempo tentando passar a limpo um garrancho se você pode escrever uma frase nova. Mesmo com as consequências dos erros passados podemos viver algo novo.
Os convido a olhar para frente com esperança.
Só leve na bagagem o que é essencial.
Por que atrasar sua viagem com pesos inúteis? Por que levar cargas que não fazem bem?
Comece o dia como se você fosse um recém-nascido e verás quanta coisa nova Deus vai te ensinar; quantas coisas boas vão te surpreender; como será mais fácil sorrir.
"Basta cada dia o seu mal", disse Jesus!
Mas, o mais importante a lembrar é que:
"Este é o dia que fez o SENHOR; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele. Salmos 118:24    
UM EXCELENTE DIA PARA TODOS.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Enfrentado as autoridades

‎"Mas Pedro e João responderam: "Julguem os senhores mesmos se é justo aos olhos de Deus obedecer aos senhores e não a Deus.
Pois não podemos deixar de falar do que vimos e ouvimos".
Depois de mais ameaças, eles os deixaram ir. Não tinham como castigá-los, porque todo o povo estava louvando a Deus pelo que acontecera." 
Atos 4:19-21



O enfrentamento dos apóstolos às autoridades tinha como base não apenas suas convicções internas, mas incluía o eco das suas ações na vida e na fala da comunidade. 
Qualquer fala ou atitude que não termine com Deus sendo glorificado precisa ser questionada. 
Sobre vontade de Deus a Bíblia diz:



"Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Romanos 12:2

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A Cor da Vida

A vida tem a cor das lentes que você usa para enxergá-la.
Hoje a minha está extremamente colorida. 
Te convido a tirar essas lentes cinzas para também ver o colorido das flores e o azul do céu tocando o verde do mar lá no infinito.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Não Perca Tempo

"Sucedeu que, ouvindo Sambalate, Tobias, Gesem, o árabe, e o resto dos nossos inimigos, que eu tinha edificado o muro, e que nele já não havia brecha alguma, ainda que até este tempo não tinha posto as portas nos portais,
Sambalate e Gesem mandaram dizer-me: Vem, e congreguemo-nos juntamente nas aldeias, no vale de Ono. Porém intentavam fazer-me mal.
E enviei-lhes mensageiros a dizer: Faço uma grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria esta obra, enquanto eu a deixasse, e fosse ter convosco? E do mesmo modo enviaram a mim quatro vezes; e da mesma forma lhes respondi. (Neemias 6:1-4)

A ordem para fazer discípulos em todas as nações (Mt 28:19) é o que deve estar no topo da nossa lista de prioridade. Usar todos os recursos disponíveis é utilizar bem e de forma responsável o talento que Deus nos concedeu, mesmo que seja um só. (Mt 25:14ss)

Portanto, os convido a usar do seu tempo, criatividade e tudo o mais que Deus lhe conceder, para impactar de modo construtivo e significativo todos aqueles que leem seus escritos, seja no face, orkut, blog's ou email's.

Evitemos descer ao "vale de Ono". O vale das críticas, das dissimuladas insinuações, das respostas aos confrontos sem fundamentos e todo o resto de coisas que não convém aos que se dizem cristãos.

Os convido a fazer a diferença agindo com clareza, dizendo com liberdade, responsabilidade e conhecimento de causa tudo o que se deseja dizer, sem esconder-se na generalização. 

Os convido a dedicar o seu melhor para Deus, parando de desperdiçar tempo.

Os convido, acima de tudo e antes de qualquer julgamento às atitudes alheias, a olhar para trás e contabilizar o quanto já fez para o Reino; a olhar para suas mãos procurando os calos adquiridos no trabalho para Deus.

E mesmo que em tudo você ainda se ache irrepreensível, os convido a observar a palavra que nos alerta em Romanos 14:10

"Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo."

Este texto não deve nos conduzir a uma atitude de omissão, mas de responsabilidade com o que se diz e com o que se faz. Pois, naquele Tribunal, seremos julgados de forma justa pelas boas ou más atitudes, mas também pela omissão quanto ao bem que sabíamos que deveríamos fazer e não o fizemos.

Que Deus nos conceda sabedoria nas escolhas e coragem na hora de agir quando a escolha nos conduzir em direção contrária ao nosso conforto.

Que Deus nos conceda sabedoria no uso do nosso tempo e recursos, de modo que não haja desperdício, nem nos achemos paralisados tendo tanto o que se fazer.  

No amor de Cristo

Pr Paulo Carlos

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Coach, um modelador de sonhos.

Eu queria escrever poesia, mas faltou a rima.
Tentei compor uma música, mas onde se escondeu a melodia?
Enveredei pela pintura, afinal eu queria de alguma forma minha arte expressar.
Mas as cores, por mais belas que fossem, não as consegui combinar.
Pedra, metal, papel...
O que mais poderia carregar o clamor da minha alma?
Não faltaram os meios
Talvez me falte o jeito
Aquilo que alguns chamam de dom.
Mas será que existe um dom para compartilhar sentimentos?
Esta pergunta abriu-me um leque, uma janela para um novo mundo.
Dei-me conta que perguntar é uma espécie de arte.
A arte de abrir as trancas do coração.
Fechaduras internas que as decepções ao longo da vida fizeram a alma esquecer seus segredos.
Descobri-me como artista quando pela primeira vez vi uma lágrima cair provocada por uma simples pergunta.
Pergunta feita não por uma torpe curiosidade, mas por uma singela vontade de ouvir na essência o que uma alma queria compartilhar.
Alma que, por não ter um determinado dom, sofria sua dor no silêncio.
Dor que, expressada e ressignificada, agora se tornara mola propulsora de um futuro bem sucedido.
Foi assim que me descobrir como artista, um modelador de sonhos.
Querendo fazer poesia, compor música e pintar quadros, a vida flagrou-me fazendo uma sessão de coaching.
Hoje eu sou um dos que ajudam a pintar novos cenários, ouvir outros sons e escrever uma nova história.
Eu sou um Professional & Self Coach
Paulo Carlos.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O sobrenatural de Deus

Você quer ver o sobrenatural de Deus? Acorde cedo e veja o sol nascer. Dê uma volta no parque e invista algum tempo observado a natureza. Volte para casa, olhe no espelho e veja um ser que é a imagem e semelhança do seu criador. Agradeça por estar vivo. Agora você está pronto para ir a qualquer igreja e adorar ao responsável por tudo isso.
O sobrenatural de Deus está na complexa simplicidade da vida.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Hoje eu faço 45 anos


Perdendo o medo de envelhecer.
Quando adolescente eu tinha medo de envelhecer.
Eu tinha medo de, com o tempo, perder a visão, e ficar limitado quanto à capacidade de ampliação do meu conhecimento através da leitura, ou da capacidade de expressar-me através da escrita, tornando-me dependente de alguém para escrever por mim.
Eu tinha medo de perder os movimentos ágeis do corpo. Tinha medo de perder a vitalidade, a força, a independência na minha locomoção. 
Eu tinha medo que, com a chegada da velhice, eu perdesse a possibilidade de percepção do meu entorno. Temia que com a capacidade auditiva diminuída eu não conseguisse desenvolver um diálogo atrativo com meus interlocutores, pelo fato de não conseguir ouvi-los e/ou entendê-los.
Eu tinha medo de, ao entrar na idade avançada, ser privado das guloseimas que eu mais gosto, por conta da saúde comprometida.
Eu tinha medo de perder os motivos que me fazem sorrir. Tinha medo que todas as privações ou as responsabilidades da vida adulta sufocassem minha alegria, tornando-me alguém carrancudo e amargo. 
Hoje não tenho medo de envelhecer. 
Hoje eu tenho medo de esquecer que um dia fui jovem. Tenho medo de esquecer como é ser jovem. Tenho medo de esquecer como um jovem pensa, e dos motivos que o levam a pensar diferente.
Tenho medo de não enxergar as necessidades de um ser humano que nem sempre são expressas de modo objetivo; algumas delas impossíveis de serem percebidas a olho nu. 
Tenho medo, não de perder a audição, pois tem muita coisa que eu não quero ouvir mesmo, mas temo tornar-me surdo aos apelos da alma, a qual tem seu grito silenciado pelo ruído de um pragmatismo desumano. 
Hoje eu temo não a simples perda da mobilidade e agilidade corporal, mas a perda da capacidade de mover-me em direção àquele que carece da minha ajuda, por estar imobilizado pelas decepções acumuladas na minha vida.  
Mais do que a pele, temo o enrugar da minha alma pelo esquecimento de uma juventude paulatinamente sufocada por uma sociedade hipócrita que insiste em negar a beleza do sorriso juvenil para implantar um semblante sisudo como paradigma de responsabilidade ante os desafios da existência humana. 
Talvez eu sofra da Síndrome de Peter Pan, pois não quero me entregar a um envelhecimento precoce. Por outro lado, sei que não é saudável, nem razoável, negar o avanço da idade e a chegada das suas consequências. 
Contudo, insistirei em manter viva na minha memória os caminhos percorridos para não estranhar aqueles que estão passando por onde um dia eu passei, pois não quero ser empecilho, mas parceiro de caminhada. 
Quero manter viva a lembrança da juventude que vivi, para que aqueles que virão depois de mim tenham o direito de viver suas próprias experiências, tornando-me suporte para eles naqueles momentos que, quando jovem, me senti sozinho.
Hoje não temo a velhice que rapidamente se aproxima, porque encontrei nela o motivo pelo qual vale a pena viver. 
Tenho aprendido que cada idade tem sua beleza, e que cada etapa deve ser encarada com alegria e coragem. Precisamos de coragem para vencer os desafios que a vida propõe. 
Por isso volto a afirmar: Hoje não tenho medo de envelhecer. Tenho medo de esquecer que fui jovem, roubando assim o direito dos outros de viver a beleza da construção da sua existência. Se isso significa tornar-me jovem cada dia, apesar do avançar da idade, que assim seja para a glória de Deus.
Paulo Carlos